Bahiater busca qualificar atendimento aos agricultores e agricultoras familiares da Bahia 

Para qualificar o atendimento aos agricultores e às agricultoras familiares e organizar melhor a prestação do serviço de assistência técnica e extensão rural (Ater), nos Territórios de Identidade da Bahia, neste período de pandemia do novo Coronavírus, a Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), vem realizando reuniões virtuais periódicas com as coordenações nos Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF).  

Bahiater busca qualificar atendimento aos agricultores e agricultoras familiares da Bahia 

Entre as ações que vêm sendo desenvolvidas está a disponibilização, neste mês de maio, de um canal direto para o envio de mensagens, por meio de um número de WhatsApp (71 98121-7855), para o atendimento e esclarecimento de dúvidas, especialmente relacionadas à Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP/Pronaf).  

Com início na última terça-feira (19), o canal chega a contar, diariamente, com mais de 200 atendimentos, com dúvidas sendo dirimidas de imediato ou encaminhadas para os técnicos mais próximos, para atendimento direto. 

Célia Watanabe, superintendente da Bahiater, reforça que essa ação é importante para que os agricultores e agricultoras familiares não sejam excluídos do acesso ao crédito do Pronaf e de outras políticas públicas: “Precisamos nos reinventar a cada dia, para enfrentar as adversidades que o ambiente da pandemia tem apresentado. O isolamento social impede a realização de reuniões e mutirões, sendo necessário criar outros canais de comunicação e de atendimento”.

Bahiater busca qualificar atendimento aos agricultores e agricultoras familiares da Bahia 

Marcus Vinicius dos Santos, diretor operacional (Dirop), acompanha as equipes da Bahiater que atuam nos 27 Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (Setaf). Ele salienta que o objetivo desse novo canal é garantir o atendimento dos agricultores familiares, neste período de pandemia, quando muitos sindicatos de trabalhadores rurais, secretarias de Agricultura e Setafs, por decretos municipais, se encontram fechados, ou funcionando com revezamento de técnicos.  

"O número de WhatsApp não substitui o trabalho dos coordenadores e técnicos que atuam nos Setafs, que têm contato com as organizações parceiras, e com os próprios agricultores, que muitas vezes entram em contato com o Setaf, mas em alguns territórios ainda há agricultores com dificuldade de acessar a DAP. Por isso, especialmente neste tempo de pandemia, devemos garantir aos agricultores, que continuam plantando e produzindo alimentos, o acesso às políticas, para garantir a atividade e que o alimento chegue às mesas dos baianos", ressaltou Marcus Vinicius.

Atuação da Bahiater nos territórios
Lorena Rocha, da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), que coordena o Setaf do Recôncavo Baiano, com sede em Cruz das Almas, explica que o atendimento ao público, por conta do decreto municipal, está sendo feito via WhatsApp: "Recebo as demandas da agricultura familiar como a emissão e renovação de DAP e a solicitação de informações diversas, que são resolvidas por mim ou repassadas para outros técnicos. Utilizamos ainda os e-mails, como forma de divulgação dos programas do Governo do Estado para as secretarias de Agricultura dos municípios que compõem o território". 

Já o coordenador da Bahiater no Território de Identidade Litoral Sul, com sede em Itabuna, Marcus Vinicius Souza, avalia positivamente as reuniões por videoconferência, que podem continuar pós-pandemia, para manter a qualificação do trabalho: "São ferramentas novas e precisamos modificar algumas formas de trabalhar, principalmente no que concerne à emissão e renovação de DAP, que necessitava da presença do agricultor e da agricultora familiar. Com o advento da pandemia da Covid-19, são realizadas com a utilização de WhatsApp e telefone, para não deixar de emitir essa documentação tão importante para o acesso às políticas públicas voltadas para a agricultura familiar. Nossa equipe está motivada e tentando executar, da melhor forma, o nosso trabalho".

O Território de Identidade Litoral Sul já trabalhava com plataforma virtual, com capacitações realizadas para os técnicos que atuam nos Serviços Municipais de Apoio à Agricultura Familiar e Secretarias de Agricultura, enviando formulários virtuais para que fossem preenchidos e devolvidos, com os documentos necessários e as assinaturas dos agricultores e técnicos municipais, a fim de que as  DAPs pudessem ser emitidas. 

A DAP
A DAP é o documento que identifica o agricultor familiar, permitindo que ele acesse um conjunto de políticas públicas voltadas a esse segmento, permitindo inclusive o acesso à aposentadoria.

ImprimirPDF
Compartilhe: