Agricultores familiares de Pojuca comercializam produtos orgânicos na feira livre

Quem visita à Feira Livre do município de Pojuca, Território de Identidade Metropolitano de Salvador, encontra alimentos saudáveis, comercializados por agricultores familiares atendidos pela Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). A Feira é realizada nas segundas quartas-feiras do mês, das 8h às 17h, na Praça Antônio Carlos Magalhães, no Centro de Pojuca.

A Feira é uma vitrine para que os agricultores familiares possam atrair novos mercados e comercializar sua produção de alimentos orgânicos, livre de agroquímicos, gerando renda e fortalecendo a agricultura familiar na região.

"Por meio das orientações prestadas no serviço de assistência técnica e extensão rural (Ater), é possível ampliar a capacidade de produção de alimentos saudáveis e estimular uma nova visão sobre a vida no meio rural, onde os agricultores e em especial, as agricultoras familiares se preocupam com a qualidade tanto do alimento para autoconsumo quanto com o alimento que será comercializado", explicou Célia Watanabe, superintendente da Bahiater/SDR.

Maria Aparecida Bispo, agricultora familiar da Comunidade Lagoa Seca, em Pojuca, comercializa frutas e compotas produzidas com os alimentos saudáveis, em sua barraca na feira: “Com a formação que recebemos da Bahiater aprendemos a lidar com a terra e conseguimos chegar até aqui para vender estes alimentos orgânicos de qualidade. Hoje estou vendendo bananas, tangerinas, lima e legumes. Graças à comercialização dos nossos produtos ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), por exemplo, conseguimos pagar dívidas, investir e melhorar muito a nossa produção”.

Jorge Cortêz, engenheiro agrônomo da Bahiater, que atua no Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF), Metropolitano, com sede em Camaçari, explica que as orientações técnicas prestadas pelo serviço Ater são fundamentais para que os agricultores produzam com conhecimento técnico e ampliem a consciência ambiental: “Nós orientamos os agricultores sobre técnicas de manejo do solo e o manejo da própria cultura, além do momento final, que é a comercialização. Nós somos os responsáveis para sensibilizar o agricultor sobre a ação de produzir sem o uso de agrotóxicos, fazendo uso de adubos orgânicos, em pequenas quantidades, o que resultará em uma produção saudável e sustentável”.

ImprimirPDF
Compartilhe: