Ações do Bahia Produtiva são avaliadas pelo Banco Mundial

Um grupo formado por representantes do Governo do Estado e do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD/Banco Mundial), visitaram, nesta quarta-feira (06), na Ilha dos Frades e Ilha de Itaparica, uma cooperativa de pescadores e uma associação apoiados pelo Bahia Produtiva,  projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

O diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, explicou que a Missão é uma oportunidade para demonstrar para a direção superior do Banco como se chegou a escolha dos 874 projetos que apoiados nos vários editais: “Desse modo, conseguimos ver em qual situação estamos hoje e o que podemos fazer até o fim do projeto, objetivando os resultados esperados que é melhorar a renda e a qualidade das famílias quilombolas, indígenas e da agricultura familiar da Bahia”.

Para o diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser, a impressão geral é que o projeto deu um salto pra frente, principalmente na área de Alianças Produtivas: "Temos visto um esforço bem focado na cadeia de valor e uma tentativa de sucesso de integrar os produtores com os mercados formais e espero que isso continue e dê estimulo a outros a buscar projetos similares e se integrarem a projetos produtivos".

Pesca

Durante a visita técnica, o grupo conheceu a experiência da cooperativa dos Pescadores e Marisqueiros de Vera Cruz (Repescar), localizada no município de Vera Cruz, que trabalha com a pesca artesanal e coleta de mariscos, produção de ostras, entre outros, a exemplo da Ilha de Bom Jesus dos Passos, Salinas de Margarida e a comunidade de Baiaco, na Ilha de Itaparica.

 A cooperativa foi selecionada no edital de Alianças Produtivas, com investimentos de R$ 1,8 milhão, voltados para gestão, organização da produção, assistência técnica e extensão rural (Ater), adequação da agroindústria, entre outras ações. São beneficiadas diretamente 450 famílias.

Para Andrea Sacramento, marisqueira e pescadora artesanal, da comunidade de Passé, do município de Candeias, a expectativa é que melhore a vida das 10 famílias que serão beneficiadas: “Com o projeto, esperamos produzir em grande escala para restaurantes e consumidores em geral e aumentar a nossa renda”.

Quilombo

A programação contou ainda com a visita ao Quilombo do Tereré, um dos pontos turísticos de Vera Cruz. A Associação de Arte e Cultura Quilombo do Tereré, foi selecionada no edital Socioambiental Quilombola. Com investimentos de mais de R$ 320 mil serão diretamente beneficiadas mais de 15 famílias da comunidade, que vivem da mandiocultura e seus derivados.

Anatelson das Neves, presidente da Associação, apresentou as atividades produtivas realizadas pela associação e ressaltou que por meio do Bahia Produtiva será possível conquistar novos mercados e aumentar a venda da mandioca processada: “Só tenho agradecer a oportunidade de receber um recurso que vai salvaguardar nossa produção e ajudar a gente manter viva a tradição do trabalho com mandioca”.

ImprimirPDF
Compartilhe: