• Portarias da Secretaria de Desenvolvimento Rural
  • Chocolates da Agricultura Familiar

Agricultura Familiar

12/06/2018 18:06

Comissão planeja desenvolvimento da cadeia produtiva do leite na Bahia

Tornar a Bahia autossuficiente na produção de leite e de produtos lácteos. Esse é o objetivo da Comissão Baiana da Cadeia Produtiva do Leite que realizou, nesta terça-feira (12), a segunda reunião de trabalho, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB), em Salvador, para dar continuidade ao planejamento das ações.

O secretário de Desenvolvimento Rural (SDR), Jerônimo Rodrigues, afirmou que foram discutidos os rumos do próximo regimento interno e o planejamento de trabalho para os próximos dois anos: “É uma agenda de articulação de políticas públicas, parcerias importantes onde toda cadeia de leite está presente, empresários, produtores, cooperativas, universidades, estado, união e município. É uma grande rede para a gente fortalecer e fazer com que a Bahia seja um exportador de leite, não apenas importador”.

A Comissão tem como meta promover a modernização gerencial e tecnológica da cadeia, incentivar o cooperativismo, o empreendedorismo e fortalecer a integração econômica e produtiva do leite e, consequentemente, aumentar a geração de emprego e renda, promovendo a fixação do homem no campo.
Para a secretária da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), Andrea Mendonça, a criação da comissão é importante para que a cadeia produtiva de leite possa ter qualidade e disponibilidade em toda bacia leiteira da Bahia: “A Seagri vai aportar todos os recursos disponíveis, buscando emendas federais e apoio de outros órgãos para que a gente possa desenvolver a cadeia produtiva do leite”.

A Bahia tem o sétimo maior rebanho de vacas ordenhadas do Brasil (880 mil vacas) e produz 858 milhões de litros de leite/ano, o que é equivalente a 2,55% da produção nacional. O estado é o maior produtor de leite do Nordeste, com 22,8% de participação regional. No entanto, ainda apresenta produtividade de vaca por lactação de 975 litros vaca/ano, número inferior em comparação aos estados do Ceará, Sergipe, Alagoas e Pernambuco (a média nordestina é de 1076 litros por vaca/ano).

Segundo o presidente da FAEB, Humberto Miranda, a reunião foi para começar a colocar em prática o planejado, fazer a integração entre todos os entes da cadeia produtiva: “Estamos começando a exercitar um planejamento com ações sincronizadas, onde cada uma das instituições tem algum tipo de ação no interior do estado, colocando na mesa um mapa dessas ações realizadas. Começamos a ver frutos saindo da teoria, do sonho que cada instituição pudesse dar a sua colaboração para o fortalecimento da cadeia produtiva do leite, e já estamos vendo isso na pratica acontecer”.

O vice-presidente da Comissão, o superintendente da Superintendência da Agricultura Familiar (Suaf)/SDR, Marcelo Matos, observou que o grupo está comprometido com o planejamento estratégico e desenvolvimento de ações para abastecer o mercado interno com produtos do próprio estado da Bahia e principalmente da agricultura familiar, que contribui mais de 50% da produção de leite no país e no estado: “O saldo dessa reunião é muito positivo. É um processo de construção para articular todas as ações dos órgãos públicos, do Governo Estadual, dos municípios que são compradores para alimentação escolar e hospitais da Bahia, das instituições da sociedade civil e outros que são parceiros, como o Sebrae e universidades, para que todo mundo que possa contribuir para o desenvolvimento dessa cadeia produtiva”.

Integram a Comissão:

Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB/SENAR), Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae-BA); Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia (Sindileite); Secretaria da Agricultura e Pecuária da Bahia (Seagri); Secretaria do Planejamento da Bahia (Seplan); Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR); Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab); Companhia Nacional de Abastecimento (Conab); Associação Baiana dos Supermercados (Abase); Associação Brasileira dos Criadores de Girolando; Bahia Leite; Associação dos Criadores de Gado do Oeste da Bahia (Acrioeste); Universidade Federal da Bahia (Ufba); Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite); e Sindi-BA.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.