• Novs sedes e visturas reforçam segurança no Sudoeste
  • Edital de Mudas e Sementes

Agricultura Familiar

05/12/2017 10:12

Missão do Banco Mundial conhece projeto da caprinovinocultura

As visitas técnicas a uma Unidade de Produção Familiar e a uma agroindústria de processamento de leite de cabra, da Associação Comunitária Caprinocultura Solidária (Apaeb) foram as atividades de mais uma etapa da Missão do Banco Mundial de monitoramento do Bahia Produtiva, projeto executado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR). A ação aconteceu nessa segunda-feira (03), no município de Valente, Território de Identidade Sisal.

A Apaeb foi selecionada pelo edital do Bahia Produtiva de apoio à cadeia produtiva da caprinovinocultura para receber investimentos da ordem de R$ 490 mil, com contrapartida da associação de cerca de R$ 98 mil, em construção civil, equipamentos, veículo, serviços de marketing e desenvolvimento de novas embalagens.

A comitiva iniciou a visita técnica conhecendo o tanque de resfriamento, com capacidade de 500 litros, no domicílio do produtor Moisés Oliveira, localizado no Distrito de Valilândia. O produtor explica que a produção de leite já está na terceira geração da família. Há cerca de três anos a família trabalhava com a bovinocultura de leite, mas que depois de anos de tentativas e sem lucratividade resolveu mudar para a criação de caprinos. Com o retorno financeiro, já começou a investir em infraestrutura e melhoramento genético, entre outras.

Depois de verificar as instalações do tanque de resfriamento, a comitiva seguiu para a comunidade Rural de Santa Rita, em Valente, e foi conhecer a propriedade do irmão de Moisés, Marcio Oliveira, com quem ele divide a utilização do tanque de resfriamento. Os irmãos produzem juntos cerca de 100 litros de leite/dia, mas a expectativa é de aumentar a produção com a chegada dos investimentos: “Nosso objetivo, depois desse projeto que vem beneficiar o laticínio, é aumentar a produção de leite até chegar ao limite da propriedade, que tem cerca de 30 hectares, produzindo cada dia melhor e com mais qualidade”, falou entusiasmado Moisés Oliveira.

Para o coordenador geral do Bahia Produtiva, Fernando Cabral, “a visita à Apaeb, como parte da missão de supervisão e avaliação do Banco Mundial, foi bastante proveitosa, porque conhecemos dois agricultores familiares que estão sendo beneficiados pelo projeto e o laticínio onde estão sendo feitos investimentos para diversificar a linha de produção de queijos de cabra, com queijos finos, e iniciar a fabricação de bebidas lácteas. Que esses produtos tenham um melhor posicionamento nos mercados mais competitivos, porque a inserção desses produtos em novos mercados é o objetivo principal do Bahia Produtiva”.

De acordo com Fátima Amazonas, a visita teve um aspecto interessante nessa nova fase do Bahia Produtiva, com os investimentos voltados para o mercado, tanto nas alianças entre os produtores individuais, agregados a associações, quanto as associações de pequeno ou de grande porte, como a Apaeb, que tem uma importante atuação em todo o Território Sisal: “O que nós conhecemos mostra uma iniciativa bastante promissora e com sustentabilidade”.

Amazonas observou que os produtores individuais familiares visitados são dois irmãos associados, que poderão ter uma ampliação na produção de leite de cabra, alimento que vem ganhando um aumento na aceitação: “Com esses investimentos do Bahia Produtiva os produtores poderão ampliar o fornecimento de leite, e isso fará com que o laticínio da Apaeb possa ampliar o seu mercado, com a oferta de produtos com valor agregado, como os queijos especiais”.

O diretor-presidente da Associação Comunitária Caprinocultura Solidária - Apaeb, José Alberto Silva, falou que as expectativas são as melhores possíveis: “Com esse projeto poderemos melhorar e aprimorar a cada dia a nossa produção, sendo bom para o laticínio como para o produtor, que terá uma renda a mais”. Ele ressaltou que os investimentos irão incentivar o surgimento de outros produtores.

Fábrica de Tapetes
Ainda no município de Valente, o grupo visitou uma unidade de produção de doces de leite de cabra, e a Fábrica de Tapetes e Carpetes de Sisal, que gera emprego para 300 funcionários. Os participantes tiveram também a oportunidade de degustar os queijos diversos da linha gourmet, que está sendo desenvolvida pela associação, por meio de uma consultoria contratada para identificar e desenvolver novos produtos a partir das demandas de mercado. Com os investimentos do Bahia Produtiva, 100% da produção do laticínio poderá ser aproveitada.

O projeto
O Bahia Produtiva é uma ação do Governo do Estado, por meio da SDR/CAR, voltada para financiar projetos de inclusão produtiva e acesso ao mercado, socioambientais, de abastecimento de água e esgotamento sanitário, de interesse das comunidades mais pobres da Bahia nos 27 Territórios de Identidade do Estado. Desde 2015 estão sendo investidos US$ 260 milhões. O projeto tem duração de cinco anos.

Presenças – Da SDR/CAR/Bahia Produtiva participaram a especialista em caprinovinocultura, Carina Cezimbra, e o assessor Guilherme Souza; o assessor da SDR, Ivan Fontes; e a coordenadora do Serviço de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF) Sisal, Célia Dourado. Da equipe do Banco Mundial estavam presentes o especialista em análise econômica e financeira, Mario Castejon, a consultora Caroline Moreira e o oficial de Comunicação do Projeto de Agricultura Familiar Voltado para o Mercado (Mosap II), de Luanda, Angola, Paulo Vicente.

Confira mais fotos no Flickr
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.