• Novs sedes e visturas reforçam segurança no Sudoeste
  • Edital de Mudas e Sementes

Movimentos Sociais

08/09/2017 09:09

Governo do Estado participa da celebração dos 30 anos do MST que segue até domingo em Itamaraju

A comemoração pelos 30 anos de fundação do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) na Bahia, marcado por lutas e conquistas em defesa da Reforma Agrária, foi iniciada, nesta quinta-feira (07), com a realização de um ato ecumênico no Assentamento 40 45, situado no município de Alcobaça, Território de Identidade Extremo Sul, local da primeira ocupação do Movimento no estado.

Mistica

No ato de abertura, foi realizada uma Mística seguida de plantação de mudas de árvores, a exemplo do Ipê Amarelo. Com muita emoção, a comunidade fez relatos sobre suas conquistas e resistências às ocupações.

Representando o governador Rui Costa, o secretário de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, esteve presente na abertura e destacou a importância de celebrar os 30 anos do MST, marcados por uma trajetória de luta e resistência por uma sociedade mais justa e igualitária, e pela construção de assentamentos estratégicos que contribuem para o fortalecimento da reforma agrária e da economia rural baiana: “O Assentamento 4045 é um exemplo que deu certo na geração de renda, no zelo com meio ambiente, contribuindo para a dinamização da economia dos municípios do território”.

público

Rodrigues ainda enfatizou que “ a reforma agrária na Bahia tornou-se realidade a partir da luta dos trabalhadores e trabalhadores rurais que nestes 30 anos ousaram, a partir das ocupações com homens e mulheres, idosos e crianças, que com suas vidas moldaram seu lugar para viver no campo, produzindo alimentos indispensáveis para a população urbana”.

O secretário também reafirmou o compromisso do governo com os movimentos sociais: “Nosso papel, enquanto governo, é trabalhar junto e reconhecer o papel de um assentamento da Reforma Agrária para a dinamização econômica do município, do território e da economia do Estado”.

Itamaraju
As comemorações que segue até domingo (10), em Itamaraju, reúne assentados e acampados da Reforma Agrária de dez regiões do estado da Bahia. A programação contempla plenárias, apresentações musicais e intervenções artísticas com reflexões sobre as lutas históricas do Movimento.

MST

Evanildo Costa, da direção Nacional do MST, disse que o momento é de muita emoção e de reflexão para traçar estratégias que facilitem a superação dos desafios. “São 30 anos de luta, de resistência e de muitas conquistas. Esse momento de confraternização, neste local simbólico e representativo para todos nós, que é Itamaraju, considerada a capital baiana da Reforma Agrária, nos faz sermos mais firmes no presente, para seguirmos determinados com a continuidade desse projeto de luta pela reforma agrária, voltando a produção de qualidade, comercializando alimentos saudáveis”.

Feira da Reforma Agrária
A programação também contempla a Feira da Reforma Agrária, que conta com apoio da SDR, por meio da Coordenação de Desenvolvimento Agrário e da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

A Feira começa nesta sexta-feira (08), na Praça José Berilo de Carvalho, em Itamaraju, e segue até domingo (10). Quem passar por lá poderá comprar hortaliças, raízes, grãos, frutas, geleias, além de artesanatos produzidos nos assentamentos e acampamentos da reforma agrária, de dez regiões da Bahia.

A coordenadora executiva da CDA/SDR, Renata Rossi,que também acompanha as comemorações disse que a feira é a melhor expressão da vitalidade do movimento e a celebração dos 30 anos do MST demonstra a vitalidade dos movimentos sociais de luta pela terra. “Essa vitalidade dos movimentos que lutam pela terra é fundamental para a consolidação da democracia e de um Estado democrático que preserva o diálogo com a sociedade, essencial para a formulação das políticas públicas para o meio rural”.

Também esteve presente a superintendente de Políticas Territoriais e Reforma Agrária (Sutrag/SDR), Fernanda da Silva, a gestora da Superintendência de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), Célia Watanabe, o assessor da CDA, Murilo Brito, técnicos do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (Setaf) do Extremo Sul e da Costa do Desenvolvimento. A secretária da Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis, o deputado Federal, Valmir Assunção, representantes do colegiado Territorial do Extremo Sul, João Paulo, da direção Nacional do MST, Lucinéia Durães, da direção estadual do MST, e lideranças do território também prestigiaram o ato.

Sobre o movimento
O MST na Bahia construiu o exemplo de luta pela democracia política e pela igualdade de condições de vida digna no campo: Terra, Educação, Saúde, Cultura, Segurança, Recursos Hídricos, Assistência Técnica, etc. O movimento defende princípios baseados na agroecologia como base de sua produção na agricultura familiar. Em seus diversos assentamentos em todo o Estado, seja no sertão, como nas áreas de mata, litorâneas, cerrados, dentre outros, executa a política de produção natural. A educação é a base da formação de seus membros, assim o meio ambiente é preservado no modelo de produção para a agricultura familiar.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.